Saiba como fazer a gestão de crise de um condomínio!

6 minutos para ler

Brigas, falta de noção de coletividade, problemas estruturais e muitas outras questões podem tirar o sono de um síndico. Aliás, há até um apelido para os dilemas comuns de se administrar um prédio: os cinco C’s – criança, carro, cachorro, cano e calote.

Expressões a parte, é evidente que um prédio requer mais do que apenas uma boa localização para funcionar. O investimento na estrutura é um passo importante, porém, sem uma gestão de crise eficiente, é bem provável que a boa vizinhança dure menos do que se pode imaginar.

Afinal, problemas aparecem! Não ter um planejamento e nem ações de prevenção é apostar no fracasso. Por isso, neste texto, vamos falar sobre como lidar com as crises em seu prédio. Entenda!

Quais tipos de situações podem necessitar de gestão de crise?

Na introdução, falamos sobre os cinco C’s que realmente podem perturbar a paz, não só do síndico, mas também dos moradores. Porém, além disso, existem algumas situações específicas que geram bastante desconforto e que, se não resolvidas, podem até prejudicar o imóvel, judicialmente.

Saiba que, em termos de legislação, até o ano de 2002, havia apenas a Lei 4.591, para lidar com as questões dentro de um prédio. Agora, no novo Código Civil, há, pelo menos, 27 artigos para regularizar os empreendimentos imobiliários. Sendo assim, é fundamental que a administração entenda essas normas e fique atenta para aplicá-la.

A seguir, vamos ver quais são as situações que necessitam de atenção por parte da administração. Entenda!

Falta de energia

Dá para imaginar viver em um apartamento, pagar o aluguel regularmente, bem como a taxa de condomínio e, constantemente, sofrer com quedas de energia? Claro que uma situação dessa pode não ter relação direta com o prédio, porém, o prejuízo da escolha de um mal local para construir o empreendimento, ou, não pensar em alternativas para melhorar o abastecimento de energia terão os mesmos resultados para o morador.

É um problema comum, mas que causa um grande desconforto e até chega a afetar a valorização do condomínio.

Falta de água

Outro problema que atinge um dos serviços mais básicos da vida urbana: o fornecimento de água. Alguns prédios são muito antigos e têm problemas com sua tubulação, que dificultam o acesso da água.

Outros podem estar localizados em uma região em que esses tipos de problema sejam comuns. Novamente, destacamos o quanto isso pode ser problemático para os moradores e inclusive, dar espaço para que eles tomem providências legais que vão, não só tornar a relação de convivência mais difícil quanto dificultar a vida do síndico.

Problemas de acesso

Aqui, vamos destacar dois tipos de situações que são comuns em condomínios. Primeiro, a falta de espaços com acessibilidade para deficientes físicos, segundo, a falta de vagas na garagem ou até a inexistência. Nos dois casos, é evidente que isso causa um desconforto para quem mora, além de prejudicar o preço do aluguel.

Saiba que, desde 2004, há o decreto federal 5.296 que obriga prédios privados e públicos a terem mecanismos de acessibilidade para pessoas portadoras de deficiência. Ressalvo para a cidade de São Paulo que, por conta de ter muitos prédios antigos, empreendimentos feitos até 1992, não têm essa obrigatoriedade.

Limpeza do condomínio

Ninguém quer ficar em um lugar em que, constantemente, há sujeira. A falta de uma equipe de limpeza para manter o ambiente limpo pode prejudicar bastante a possibilidade do prédio de receber novos moradores. Apesar de a limpeza dos apartamentos ser responsabilidade dos proprietários, é importante que o síndico indique normas de comportamento para a melhor relação nesse ambiente coletivo.

Como um síndico pode fazer a gestão de crise em um prédio?

Existem muitas estratégias para tornar a convivência em um condomínio a melhor possível. Porém, primeiramente, é importante que sejam estabelecidas regras internas para ajudar na rotina diária do imóvel. Criar normas com bastante detalhes e especificações é um bom começo. É também importante lembrar que, em muitos casos, a omissão pode até ser levada a juizado.

O Código Civil possui uma determinação que, se o síndico for ausente em relação a certos vazamentos no encanamento, por exemplo, o morador pode cobrar do prédio, caso precise resolver o problema por conta própria. Dito isto, as principais estratégias que aconselhamos para lidar com essas questões são: análise, suporte e procurar ajuda de terceiros.

Análise

É fundamental, antes de tomar qualquer decisão, analisar bem todas as questões do problema. Procure saber quando começou, se há participação de moradores, se é uma coisa constante do condomínio. Esse processo de avaliação será fundamental para encontrar a solução e evitar causar despesas desnecessárias.

Suporte

Após análise, é possível que as soluções mais viáveis já tenham sido observadas. Nesse momento, é preciso saber se o condomínio tem condições de atender os gastos que podem surgir para resolver o problema. Se for uma questão estrutural, a arrecadação da taxa de condomínio é, justamente, para ajudar a resolver esse tipo de problema.

Ajuda de terceiros

Em muitas situações, pode ser que o síndico não tenha condições e nem estrutura para cuidar dos diversos problemas, não só estruturais mas também os desentendimentos de moradores. Nesse caso, a contratação de uma empresa que forneça soluções, como administração do condomínio e gestão das finanças, pode fazer toda a diferença.

A Embracon é um exemplo desse tipo de companhia, oferecendo diversos serviços para condomínios. Ela atua desde a administração, gestão de orçamento e quitação de contas, até mesmo, em outras soluções voltadas a tornar o imóvel mais cômodo, como: portaria remota, ferramentas de segurança, equipe de limpeza, entre outros.

Você acompanhou, ao longo deste texto, como a gestão de crise é uma importante estratégia para lidar com os problemas de um condomínio. Sabemos que infelizmente, essas situações, tanto estruturais quanto de convivência, podem ocorrer em qualquer tipo de empreendimento.

Por isso, além do síndico estar sempre atento e procurar analisar com cuidado essas circunstâncias, ainda é necessário, o investimento constante na manutenção do prédio. Destacamos que, em caso de dificuldades, a melhor solução é a contratação de uma empresa que será capaz de cuidar de todos os processos administrativos e também da estrutura, com qualidade.

Precisando de ajuda para a gestão de crise? Fale com a gente e conheça mais sobre os serviços da Embracon. Temos certeza que poderemos te ajudar!

Você também pode gostar

Deixe um comentário