Como e por que acontece a sobrecarga elétrica no condomínio?

como-e-por-que-acontece-a-sobrecarga-eletrica-no-condominio
4 minutos para ler

Manter as instalações elétricas de um condomínio em perfeito estado é uma atribuição do síndico, cuidado que garante segurança aos moradores e colaboradores. Portanto, cabe a ele promover revisões periódicas e assegurar que tudo que não esteja de acordo com as normas de segurança seja devidamente substituído ou refeito.

Essa cautela evita problemas sérios, como a sobrecarga elétrica, que pode resultar em incêndio e, dessa forma, afetar a estrutura do prédio. Viver em condomínio requer esse tipo de atenção, visto que um simples descuido pode colocar em risco a vida das pessoas.

Algumas irregularidades, como uma fiação obsoleta que não atenda à quantidade de equipamentos ligados à rede, assim como instalações feitas sem a supervisão de um profissional capacitado, são algumas situações irregulares que podem se tornar sérias.

Neste artigo, vamos falar sobre as principais causas que provocam a sobrecarga elétrica. Continue a leitura e confira!

O que é sobrecarga elétrica?

Esse problema resulta da sobrecarga num circuito elétrico em razão da intensidade da corrente ultrapassar o limite. Quando isso ocorre, o disjuntor desarma, tendo em vista que sua função é proteger a rede elétrica toda vez que a capacidade máxima é atingida.

Em outras palavras, podemos dizer que quando a fiação da rede é solicitada por vários equipamentos, ela pode não suportar a carga. Para que isso não ocorra, é necessário que se refaça a rede.

Trocar o disjuntor não é a solução, pois, dessa forma, ele não vai cumprir sua função de proteção quando a rede estiver superaquecida — ou seja, ele não vai desarmar, podendo assim ocorrer um curto-circuito e um incêndio.

Apesar de o síndico ser responsável pelo estado geral da rede elétrica do condomínio, os moradores também devem observar alguns indícios de possível sobrecarga em seus apartamentos. Confira alguns sinais comuns:

  • choques; 
  • desarmes de dispositivos de proteção;
  • quedas frequentes de tensão;
  • lâmpadas “piscando”;
  • cheiro de fio queimado em pontos elétricos;
  • tomadas aquecendo.

Quais são as principais causas?

A sobrecarga elétrica pode ocorrer devido a diversos motivos. Um deles é em virtude de uma fiação muito antiga ou incompatível com a grande variedade de equipamentos usados hoje em dia. Redes elétricas mal dimensionadas para as necessidades do local ou feitas por pessoas não capacitadas também podem causar a irregularidade.

Como evitar o problema?

Algumas medidas adotadas pela administração condominial evitam o surgimento da sobrecarga elétrica. Saiba quais são elas:

  • fazer a manutenção periódica: deve ser feita por uma empresa especializada, que saiba efetuar as devidas avaliações na rede elétrica;
  • realizar reparos sempre que for diagnosticado algum problema: também devem ser feitos por um profissional especializado;
  • verificar e substituir materiais elétricos: tendo em vista que todo material elétrico tem uma vida útil, substituí-los é essencial para manter o bom funcionamento da rede;
  • avaliar o consumo de energia do prédio: importante para que sejam dimensionadas as necessidades do local.

Como visto neste artigo, a sobrecarga elétrica é um problema que requer bastante atenção, daí a importância da manutenção da rede na administração de um condomínio. Portanto, o síndico deve sempre se manter atento quanto às medidas necessárias a serem tomadas.

Gostou deste post? Então compartilhe-o nas suas redes sociais e garanta que outras pessoas tenham acesso a essas informações tão importantes!

Você também pode gostar

Deixe um comentário