5 erros da portaria condominial que afetam sua segurança!

5-erros-da-portaria-condominial-que-afetam-sua-seguranca
6 minutos para ler

Erros da portaria condominial que afetam sua segurança! A principal razão que leva muitas pessoas a optarem por morar em condomínios verticais é a segurança que eles proporcionam aos moradores.

Nesses locais, as famílias se mantêm mais tranquilas e se sentem protegidas — visto que existem uma série de medidas quanto à segurança dos espaços.

No entanto, apesar de todo cuidado que deve haver quanto à segurança, ainda assim existem erros da portaria condominial que devem ser evitados e, dessa forma, garantir mais proteção às famílias que residem nesse tipo de moradia.

Diante disso, precisa ficar bem clara a função de um porteiro e o que ele deve evitar, para que esse local tão importante — e que apresenta um fluxo considerável de pessoas — se mantenha seguro e garanta a proteção de todos, como moradores, visitantes e colaboradores.

Neste artigo, você vai conhecer os principais erros da portaria condominial que podem afetar a segurança. Continue a leitura!

Atribuições dos profissionais de portaria

É importante que as funções de um porteiro sejam bem definidas, para que ele atue dentro do que é esperado por todos. Assim, vamos relacionar as principais atribuições desse profissional responsável pela segurança da portaria. Confira!

Controlar o acesso de visitantes

O porteiro é totalmente responsável por todos que entram no condomínio. Por isso, quando atender qualquer pessoa, o profissional deve imediatamente interfonar para o local de destino indicado pelo visitante — devendo, apenas autorizar sua entrada mediante aprovação do morador.

Permanecer na portaria

Parece uma coisa óbvia, mas muitos não seguem essa regra básica. O ideal é que a portaria seja preparada para que o profissional não precise sair para fazer suas refeições, por exemplo, e que apenas ele tenha acesso ao local.

Solicitar identificação quando for preciso

Sempre que houver qualquer dúvida a respeito de um visitante, o porteiro deve solicitar a identificação — como em caso de prestação de serviço. O correto é que o visitante se mantenha do lado de fora, até ser identificado. Visitantes regulares só podem ter a entrada permitida mediante autorização do morador.

Erros da portaria condominial

Mesmo havendo essas regras para o funcionamento da portaria, ainda assim existem falhas que ocorrem no dia a dia dos condomínios que merecem atenção. Veja os principais erros da portaria condominial!

1. Não definir as regras de entrada de visitantes

A falta de regras que regulam a entrada de visitantes pode levar o porteiro a cometer inúmeros erros. É essencial, por isso, que o síndico estabeleça um regulamento de atendimento aos visitantes — sejam eles regulares ou para a execução de algum serviço ou entrega de mercadorias. Para que esse erro não coloque em risco a segurança do condomínio, é essencial a criação de um manual de regras a serem seguidas pelos porteiros e demais colaboradores.

2. Abandonar a portaria

Em alguns condomínios é comum ver, mediante alguma necessidade, o porteiro abandonar por alguns minutos a portaria. Na verdade, esse local não pode ficar sozinho em nenhuma circunstância. Essa atitude pode colocar em risco a segurança do edifício.

Para que isso não ocorra, é fundamental que o síndico estabeleça critérios para que, nesses casos, o colaborador seja substituído sempre que precisar. A regra deve ser sempre manter alguém na portaria para cobrir a ausência temporária do porteiro. No condomínio, deve haver sempre mais de um colaborador que possa substituir o porteiro, caso ele se ausente de seu posto.

3. Permitir distrações na portaria

Um hábito comum e que muitos síndicos não se dão conta é quanto às distrações na portaria. O local requer atenção total do porteiro, já que tudo que lhe distraia pode ser prejudicial à sua função. Exemplo disso seriam alguns porteiros terem acesso à televisão e rádios na portaria ou até mesmo conversas prolongadas com moradores.

No entanto, é comum vermos também porteiros manipulando seus celulares em horário de trabalho, o que, na verdade, tem o mesmo efeito que uma televisão, distraindo tanto quanto ou até mais do que ela. Diante disso, é imprescindível que se estabeleçam regras quanto ao uso desses dispositivos que podem colocar em risco a segurança do edifício — uma vez que comprometem a concentração do profissional.

4. Consentir que o porteiro faça outras tarefas além da sua

Um erro recorrente em algumas gestões de condomínio é permitir que o porteiro seja multitarefas, ou seja, que ele execute tarefas que não estejam associadas à sua função. As atividades executadas por porteiros que vão além de suas funções são muitas, e o problema maior é que podem desviá-los da atenção que necessitam para o perfeito cumprimento de suas tarefas.

O fato é que o porteiro precisa estar atento a todas as movimentações que ocorrem na portaria e no seu entorno. Exemplos de tarefas executadas por porteiros que não têm a ver com a sua função são: varrer o local e imediações, auxiliar moradores com sacolas de compras, receber delivery na portaria — quando quem deveria fazer isso seria o próprio morador, entre outras.

Na verdade, o porteiro deve estar ciente de seus deveres. Sendo assim, mais uma vez, é necessário ressaltar a importância de haver regras quanto ao trabalho desse profissional no condomínio — de preferência, que seja acessível para que o colaborador tenha total ciência acerca de suas obrigações. 

5. Não treinar o porteiro adequadamente

Todos os erros relacionados neste conteúdo ocorrem, principalmente, por não haver um treinamento adequado. É muito importante que o síndico, sempre que contratar um porteiro, capacite-o por meio de um treinamento. Dessa forma, ele saberá sobre as regras, assim como o que pode ou não fazer no desempenho de sua função.

Da mesma forma, deve partir do condomínio oferecer um treinamento periódico para todos colaboradores, com a finalidade de os tornar cientes de possíveis novas regras, assim como de feedbacks quanto ao trabalho da equipe. Vale lembrar que os condôminos devem ser informados quanto às obrigações do porteiro, orientando-os para que não lhe peçam nada que vá além de suas obrigações como funcionário de uma portaria. 

Como você conferiu neste conteúdo, é essencial que o condomínio fique atento aos principais erros da portaria condominial. Por isso, é sempre bom contar com uma empresa experiente e com profissionais capacitados, garantindo mais segurança para a comunidade condominial.

Gostou deste post? Então, entre em contato com a Embracon Condomínios e solucione os problemas de segurança do seu condomínio!

Você também pode gostar

Deixe um comentário